Veja os erros que podem levar os trabalhadores à demissão

Chegar atrasado com frequência, ter pouca flexibilidade, não saber trabalhar em equipe e utilizar os equipamentos da empresa para resolver problemas pessoais. Apesar de muitas pessoas considerarem essas atitudes inofensivas, especialistas em Recursos Humanos são unânimes em dizer que esses são erros graves e que podem acabar levando à demissão.

Conforme o diretor geral do portal de empregos Trabalhando.com.br, Renato Grinberg, um dos maiores erros dos funcionários é justamente ignorar as atitudes incorretas. Ele destaca que chegar atrasado mostra falta de comprometimento, enquanto que não ter flexibilidade prejudica o crescimento profissional. “A atitude conta muitos pontos e a repetição dos erros pode ocasionar a demissão”, ressaltou.

A psicóloga e consultora de RH da M M Assessoria e Consultoria Organizacional, Naitê Andreão Passos, lembra que recentemente foi publicada uma pesquisa pela Revista Você S.A sobre os motivos das demissões nas empresas. Segundo o estudo, lembrado pela psicóloga, de cada dez demissões no mercado de trabalho, 8,7 têm como causa problemas comportamentais e apenas 1,3 está ligada à deficiência técnica.

“Aliadas ás competências técnicas e à boa realização do trabalho, as atitudes de um profissional podem levá-lo ao sucesso na carreira, quando bem avaliadas”, afirmou.

Mudança
Já a psicóloga e diretora da Psico Store, Martha Zouain, ressalta que a compreensão do erro vai permitir uma mudança de atitude capaz de minimizar perdas e potencializar ganhos. “Desta forma, exercitar-se diariamente para esta reflexão passa a ser o desafio de cada profissional, colocado ou não no mercado de trabalho, para que o mesmo tenha a gestão de sua carreira e o poder de focar suas atitudes no que efetivamente vai trazer o melhor resultado”.

Na opinião do gerente de RH da Lorenge, Nilson da Silva, mentiras são inaceitáveis, pois estão ligadas à confiança. “Para evitar erros desse tipo, utilizamos a transparência, ter metas e regras. Constantemente fazemos treinamentos e divulgamos informes nos quadros de aviso. Se errou, busque a melhor maneira de acertar”, avalia.

Sem gírias e com promoções no currículo
A competência e o comportamento do diretor de obras da Lorenge Júlio Ramires Silva fizeram com que ele fosse promovido rapidamente dentro da construtora. “Estou na empresa há dois anos e nove meses. Ingressei como engenheiro de obras, passei pelo cargo de gerente de obras e esta semana fui promovido a diretor de obras”. Por exercer um cargo de chefia, Júlio acredita que tem a obrigação de dar o exemplo. “Sempre busco desafios como um diferencial. Além disso, faço questão de ter uma conduta exemplar. Caso contrário, não terei como cobrar que o funcionário chegue no horário se não fizer o mesmo”, disse. Ele observa também a importância de estar bem preparado para reuniões de última hora e o cuidado com o que fala, como por exemplo, o uso exagerado de gírias.

Os 10 pecados no ambiente de trabalho
1. Mentira
Não importa o tamanho, mentira de qualquer natureza poderá evidenciar um distúrbio de caráter que fará qualquer empresa desconfiar do quanto pode contar com sua lealdade.

O que fazer: Mesmo que não se beneficie imediatamente, escolha pela verdade, pois, é preferível ficar “vermelho” em apenas uma situação do que ficar “amarelo” pela vida inteira

2. Atrasos
Chegar sempre atrasado revela falta de compromisso. Lidar bem com os horários é uma característica das pessoas eficientes.

O que fazer: Administre seu tempo de uma maneira que você possa chegar de 5 a 15 minutos mais cedo. Chegar no horário caracterizará o quanto é comprometido.

3. Não respeitar a hierarquia
A hierarquia é baseada em determinadas regras que são importantes para o grupo num dado momento. Falar primeiro com o diretor ao invés de se dirigir ao seu chefe pode prejudicar você dentro da empresa, pois há uma quebra de confiança.

O que fazer: é sábio levar em conta tudo isso, buscando a melhor harmonização e o equilíbrio entre o melhor para o indivíduo e o grupo. ;

4. Pouca flexibilidade
Muitos profissionais se limitam e não se ajustam a diferentes condições ou circunstâncias.

O que fazer: Saber adequar-se oportunamente a mudanças, ter jogo de cintura para lidar com as adversidades evidenciará o quanto o seu foco está no resultado e em dar a entrega que a empresa necessita.

5. Utilização dos recursos da empresa
Utilizar material da empresa para questões pessoais. Todo o material que se encontra na empresa é para uso exclusivo para as questões do trabalho. Cópias pessoais, ligações particulares, utilização do horário de trabalho para outros fins que não sejam o trabalho, evidenciam comportamento pouco comprometido.

O que fazer: Planeje seu tempo para o trabalho e entrega de suas atividades e utilize os momentos livres para pensar em contribuições que possa oferecer para a melhoria dos processos da sua organização.

6. Não saber trabalhar em equipe
Times de trabalho são grupos que trabalham juntos em prol do mesmo objetivo e, em função disto, acabam potencializando seus resultados.

O que fazer: Em uma empresa que prioriza o coletivo é fundamental que se aprenda a lidar com ideias distintas das suas e, muitas vezes até, ter paciência com a falta de comprometimento de um colega de trabalho;

7. Não respeitar os colegas
Não somos obrigados a ter a mesma afinidade e aproximação com todos os que circulam em nosso ambiente profissional.

O que fazer: Somos responsáveis por gerar um melhor clima demonstrando respeito e consideração a todos.

8. Conversas paralelas no expediente
É claro que ninguém deve ficar sem trocar uma “palavrinha” sequer com um colega durante um dia inteiro.

O que fazer: Deve-se ter bom senso para analisar que os assuntos não destinados a potencializar o rendimento no trabalho, caso ocorram, devem-se reduzir a comentários breves;

9. Usar o telefone para conversas pessoais
Neste caso ocorre a ocupação de coisas alheias a sua função sem o consentimento do empregador. Além de demonstrar falta de bom senso, tal comportamento pode, inclusive, gerar demissão por justa causa sem direito as verbas rescisórias.

O que fazer: Lembre-se que ficar ao telefone para conversas pessoais atrapalha o desempenho profissional.

10. Achar que a quantidade de trabalho é mais importante do que a qualidade
Mais do que nunca as empresas estão atrás de profissionais capazes de proporcionar resultados.

O que fazer: Não pense que ficando mais tempo na empresa estará sendo melhor visto pelo seu chefe, mesmo que o resultado não seja o melhor

Fonte : A Gazeta